Quando falamos em sexo biológico, identidade de gênero ou orientação sexual, a cabeça de muitas pessoas dá uma volta, já que a grande maioria delas desconhecem sobre o assunto, ou até sabem algo, porém confundem algumas coisas.

Este post é para esclarecer essas dúvidas frequentes que a grande maioria tem, de uma maneira simples e rápida!

Então, vamos lá…

Sexo biológico nada mais é do que o seu sexo de nascimento, ou seja, se você nasceu com a genital feminina, masculina ou com as duas, que é o caso de quem recebe o nome de hermafrodita. Podemos citar ainda o caso dos intersexuais, que são aqueles que nascem com características tanto do gênero feminino como do masculino.

A identidade de gênero é definida através da forma como a pessoa se vê, se sente, se percebe, se reconhece perante a sociedade, ou seja, se é homem ou mulher. É importante salientar, que gênero, só existem DOIS, o feminino e o masculino.

Ser Transgênero também faz parte da questão de identidade de gênero, já que é quando a pessoa não se identifica com o sexo de nascença, ou seja, quando uma pessoa nasce mulher, mas não se sente mulher ou quando nasce homem, mas não se sente homem.

É importante frisar que a pessoa que se enquadra dentro da questão de identidade de gênero não escolhe por isto, já que é algo intrínseco ao seu nascimento. A ciência explica muito bem isso: que no embrião humano a genitália se forma na 10ª semana de gestação, enquanto isso, o cérebro está em desenvolvimento, mas por volta da 20ª semana, se define a área que dá a identidade de gênero, ou seja, genitália feminina com cérebro feminino ou genitália masculina com cérebro masculino. Agora, no caso dos transgêneros, há uma inversão desses papeis, onde o que ocorre é ter a genitália feminina com cérebro masculino ou a genitália masculina com cérebro feminino. Quando uma pessoa demonstra tais características é possível que se faça uma cirurgia de transição de gênero ou redesignação sexual, passando por esse processo o indivíduo passa a ser um Transgênero Transexual.

E por fim, orientação sexual é designada por quem me desperta desejo, tanto emocional como físico. Assim como, a identidade de gênero, a orientação sexual não sofre influência ou é determinada pelo meio, visto que a pessoa já NASCE assim. Dentro da orientação sexual temos os Heterossexuais, Homossexuais, Bissexuais, Pansexuais e os Assexuais.

Heterossexual é aquele que sente atração pela pessoa do sexo oposto, ou seja, mulher sentindo atração por homem e vice-versa. Homossexual é aquele que sente atração pela pessoa do mesmo sexo, ou seja, homem sentindo atração por homem, e mulher sentindo atração por mulher. Bissexual é o indivíduo que sente atração pelos dois sexos, tanto o oposto como o igual, ou seja, um homem que sente atração por mulher e homem ou uma mulher que sente atração por homem e mulher. Os pansexuais são aqueles que não se limitam apenas ao gênero feminino e masculino, mas são interessados em todos os tipos de sexualidades, como por exemplo, os transgêneros. Já os assexuais dizem respeito a aqueles que não sentem atração por nenhum gênero.

Fazendo um gancho nesse assunto, resolvi falar também um pouco sobre os Travestis e as Drag Queens.

Os travestis são aqueles que usam roupa, cortes de cabelo, hormônios, fazem pequenas mudanças no corpo, como por exemplo, colocar silicone, tudo isso em relação ao oposto de seu sexo, porém mantém seu órgão genital de nascimento. O travesti não tem uma identidade só, a feminina ou a masculina. Eles têm as duas e se sentem bem assim.

Drag Queen é uma expressão puramente artística e não faz parte da questão de identidade de gênero. Tal performance pode ser feita por mulheres, homens, héteros, gays… é quando uma mulher se transforma num personagem masculino ou quando um homem se transforma em um personagem feminino, não precisa ser algo necessariamente humano, pode ser o que você quiser, vale de tudo, porque você é o ator. E algo muito importante a se dizer sobre as Drag Queens é que ser Drag não significa necessariamente que a pessoa é homossexual.

O importante de se falar sobre esses assuntos atualmente em uma sociedade heteronormativa é fazer com que eles sejam entendidos e respeitados em sua complexidade e singularidade. E que, apesar de existirem todas essas “caixinhas” que somos inseridos, somos humanos em primeira instância.

Pensando nisso tudo, eu deixo uma frase de reflexão: “Se você é hétero, não entendeu coisa nenhuma e está mais perdido, então perceba que não só existe azul e rosa, existe um arco-íris inteiro” – Lorelay Fox.

Grande abraço, e até o próximo post!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui